Imóveis nos EUA

Já ouviu falar de tax lien e tax deed?

Já te falei como eu vim parar no Maine, mas nunca te falei as peripécias que passei para poder abrir minhas lojas de sapato por aqui! Vou escrever em partes, sendo essa a parte 1.

Quando cheguei nos Estados Unidos, nem green card eu tinha. Mal tinha o visto de turista! Mas eu estava determinado. Fui trabalhando, primeiro para os outros, depois para mim mesmo. Até que chegou a hora de expandir. As lojas locais já não satisfaziam a demanda por sapatos, por falta de espaço, e eu ainda tinha muito o que crescer!

Foi quando fui procurar uma corretora ou Real State Manager para alugar um local e criar uma loja própria. Liguei para essa agencia e marquei a hora com o corretor, para visitar os locais desejados. Até ai, tudo ocorreu como o planejado. Encontrei uma loja em uma avenida movimentada e me apaixonei. Disse que fecharia negócio.

Tax Lien Maine

O local pelo qual me apaixonei

Na semana seguinte, passei na agência para criar minha ficha de inscrição no estado e deixar os meus documentos. Feito isso era só aguardar e assinar o contrato. Mas não foi isso que aconteceu. Na verdade, um dia depois de ter deixado tudo pronto na corretora, recebi uma ligação dizendo que meu pedido havia sido negado. O motivo é que eu não tinha imóveis com valor o suficiente para garantir a hipoteca caso eu não pagasse o aluguel. Lembrando que isso foi logo após a quebra do mercado em 2007 e 2008.

Fiquei extremamente chateado, não só pelo fato de não conseguir o aluguel para minha tão sonhada loja, mas por realmente não ter patrimônio algum. E isso precisava mudar, rápido. Minha sorte é que eu sou uma pessoa inquieta e determinada. Sai vasculhando tudo sobre alguma forma de conseguir patrimônio e claro, minha loja e se os dois viessem juntos, BINGO!

Procurei na internet, visitei corretoras, conversei com amigos, mas foi na biblioteca nacional que encontrei uma saída para o que eu estava enfrentando. A princípio, nunca pensei que aquela solução fosse viável, muito menos rentável ou segura. Mas quanto mais eu pesquisava, mais eu ia criando a certeza de que aquele era o caminho.

A minha resposta veio em um livro chamado “the 16% solution” ou a solução dos 16%, que parece não fazer sentido algum a primeira vista, mas uma vez que você entende o conteúdo, esse se torna um número cabalístico. Esse livro ensina como investir em imóveis que estão em leilão judicial e o melhor de tudo, se o investimento não der retorno, o imóvel fica para você! Imagine você comprando um apartamento em um bairro nobre da sua cidade, um lugar com 3 quartos, 250 metros quadrados, suite, vista bonita, vaga para dois carros. tudo o que tem direito. Agora imagine fazer isso pagando apenas 4 mil reais, de forma legal e ainda ajudando a limpar o nome da pessoa que não pode pagar por aquele imóvel? Parece bom? É exatamente isso o que acontece no sistema de lei britânico, que é usado até hoje nos EUA.

Esse é o universo do Tax lien e do Tax deed, esse último sendo a forma em que mais investi e tive retorno. Mas a explicação disso fica para o próximo post!

Tax Lien Tax Deed

A vida no Maine

Se você nunca ouviu falar do estado americano do Maine (se fala meine) tudo bem, porque até eu colocar o pé aqui eu também nunca tinha ouvido falar! O Maine é um lugar que não aparece muito nos noticiários.

Mas algumas coisas que você possa achar interessante sobre esse lugar. Esse é o último estado americano da costa leste, ou seja, fazemos fronteira com o Canadá, o que é muito bom pois em 30 minutos de estrada já estou em outro país. As famosas montanhas apalache cortam essa região, somos famosos pela nossa lagosta, tecnicamente somos parte da Nova Inglaterra, logo, Vai Patriots!! O inverno aqui dura basicamente 8 meses com 3 meses de outono e 1 mês pra dividir entre verão e primavera. Mas no final, quem mora por aqui, adora o lugar.

Como já falei, sou um sapateiro nascido e criado no nordeste brasileiro, cabra da terra mesmo. Ter nascido nessas condições me deu o que chamam por aqui de upper hand, ou uma vantagem, desde criança eu tinha que andar 3 km só pra pegar água, e fazia isso dia sim, dia não. Então aprendi a trabalhar muito. Quando cheguei aqui, na terra do consumo, essa minha habilidade de seguir produzindo quando todo mundo já estava parando para descansar, foi o que me ajudou a me destacar.

Em pouco mais de 10 anos eu me tornei uma referência no mercado sapateiro na região, mas tive meus altos e baixos nessa jornada. Por quase 3 anos não tive resultado algum, vivi de favor na casa de um parente e eles ainda me ajudavam a pagar as despesas da sapataria, que ainda não era lucrativa. Pensei em desistir várias vezes e ir trabalhar como a maioria dos latino-americanos nessa área, em trabalhos que pagam pouco e não te dão perspectivas de crescimento.

O que me salvou foi ter conhecido uma outra brasileira, que estava na Nova Inglaterra divulgando seu livro, O Projeto Super Fit, que é um guia completo, a prova de erros, para emagrecer de forma saudável. O nome dessa pessoa? Vivian Oliveira. Vivian é uma brasileira que mora na costa oeste, na Califórnia, mais precisamente e ela durante muitos anos sofre com o sobrepeso e por causa disso perdeu o emprego, os amigos a abandonaram, quase perdeu o casamento e segundo ela, se continuasse daquele jeito, não veria seu filho morrer pois seu corpo já não estava mais aguentando aquele estilo de vida.

Mas o que tem a ver um guia de emagrecimento e o fato de eu não ter desistido da minha carreira como sapateiro? Simples. Um dia passeando no shopping vi que estava havendo uma sessão de autógrafos com uma autora brasileira, na famosa Barnes and Nobles. Curioso, fui dar uma olhada. Chegando perto, eu meio que perdi o interesse por se tratar de um guia de emagrecimento saudável, já que tive uma infância desnutrida, logo sou magro até hoje. Mas independente de não ser minha “praia” eu quis conhecer a brasileira que estava fazendo sucesso nas Américas.

Entrei na fila com o meu guia de emagrecimento Projeto Super Fit e esperei até a minha vez de tirar uma foto com a Vivian Oliveira. Foram quase 30 minutos de espera, mas minha vez chegou. Ela como de se esperar, me recebeu com um sorriso de uma orelha a outra e me cumprimentou em inglês e para o espanto dela, respondi em português. Foi o suficiente para ganhar a amizade dela, nos dois minutos que fiquei alí ela me contou brevemente a história dela e me convidou para jantar com ela e o marido após a sessão de autógrafo. Claro que aceitei o convite.

Adiantando algumas horas, já no jantar pude conhecer como o guia de emagrecimento Projeto Super Fit surgiu, que é uma história linda de superação e força de vontade, se quiser saber um pouco mais, vou deixar o link AQUI, para você acessar.

E foi exatamente essa história, recheada de momentos de dúvida e desejos de desistência, mas onde a força de vontade e a fé em um objetivo maior, mesmo sem saber como alcançar, foi o estopim para que eu mantivesse o meu curso e continuasse dia após dia seguindo em frente em busca do meu objetivo, trabalhando cada vez mais, sabendo que em algum momento eu poderia parar e ir para Flórida relaxar. Mas antes, se eu tivesse que trabalhar até a exaustão, eu faria, pois essa mulher, sua família e sua história havia reacendido a fagulha que faltava na minha vida.

Foi nesse jantar que um guia de emagrecimento criou a maior loja de sapatos feitos a mão de todo o nordeste americano (sai de um nordeste e fui pra outro, acho que tá no sangue) e pela Vívian e sua família sou eternamente grato!

Acabou que o livro Projeto Super Fit que eu comprei se tornou o guia de alimentação do dia a dia aqui em casa, pois mais uma coisa que a Vivian me ensinou foi que o Projeto Super Fit é excelente para te fazer a chegar no peso ideal, mas é melhor ainda para te manter saudável. Só para constar, desde quando comecei a usar as receitas do projeto, não me lembro a última vez que tive uma crise renal ou peguei um resfriado.

Ainda vou falar um pouco mais sobre a minha história e sobre a vida nos EUA, deixe seu comentário ou sua dúvida! Vou adorar contribuir! Um abraço do Micheal Jordan, brasileiro e sapateiro!